Translate

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Patologias Neurológicas na Infância


Responsável pela Edição:
Maíra Schmitz
Fisioterapeuta - CREFITO 5 - 117.262 - F

          Atualmente vivemos cercados de patologias neurológicas que afetam as crianças. Muitas crianças já nascem com sérios problemas neurológicos, necessitado de cuidados especiais ao longo de suas vidas. As principais patologias neurológicas que ocorrem na infância são a  Paralisia Cerebral e as Distrofias Musculares. 

                  A paralisia cerebral é uma das alterações neurológicas mais comuns, e que vem sendo cada dia mais explorada e estudada pelos pesquisadores, com o objetivo de minimizar seus efeitos e alterações.  A paralisia cerebral é um distúrbio do movimento e da postura que resulta de lesão cerebral não-progressiva ocorrida no período inicial do desenvolvimento infantil, podendo apresentar sintomatologia variada, que caracteriza a gravidade do comprometimento neuromotor. É resultante de encefalopatia não-progressiva nos períodos pré, peri ou pós-natal, com localização única ou múltipla no cérebro imaturo.
          A Paralisia cerebral acomete o indivíduo de diferentes formas, dependendo da área do sistema nervoso que foi afetado. O portador apresenta alterações neuromusculares como variações de tônus muscular, persistência de reflexos primitivos, rigidez, espasticidade, entre outras características.  Tais alterações geralmente se manifestam com padrões específicos de postura e de movimentos que podem comprometer o desempenho funcional dessas crianças. Dessa forma, a paralisia cerebral pode interferir de forma importante na interação da criança em contextos relevantes, influenciando, assim, a aquisição e o desempenho não só de marcos motores básicos, como rolar, sentar, engatinhar e andar; mas também de atividades de rotina diária, como tomar banho, alimentar-se, vestir-se, locomover-se em ambientes variados.

         Outra gama de alterações neurológicas que tem ganhado espaço e conhecimento cada vez mais aprofundado são as distrofias musculares. Ainda se sabe pouco sobre essas alterações, mas a cada ano que passa, os estudos estão mais avançados e a área de conhecimento cada vez maior.

          As distrofias musculares são doenças de caráter hereditário sendo sua principal característica a degeneração da membrana que envolve a célula muscular, causando sua morte. Distrofia muscular é o termo amplo usado para designar um grupo de doenças genéticas que afetam os músculos causando fraqueza. Essa fraqueza muscular, dependendo do tipo de distrofia, afeta grupos de músculos diferentes e tem velocidade de degeneração variável.


REFERÊNCIAS:

Nenhum comentário:

Postar um comentário