Translate

quarta-feira, 18 de abril de 2018

O médico que fugiu do Nazismo e fundou as Paralimpíadas.

Um médico judeu que escapou da Alemanha nazista está na origem das Paralimpíadas, 
Ludwig Guttmann ajudou a fundar e comandou a divisão de tratamento de lesões de coluna no hospital de Stoke Mandeville, na Grã-Bretanha. Lá, muitos dos pacientes eram ex-combatentes de guerra e Ludwig usou o esporte para mudar suas vidas.
"Nós começamos com ex-soldados, ainda durante a guerra, primeiro com jogos simples, como dardo, sinuca e uma espécie de boliche. Aí vi como aqueles homens reagiam, não apenas fisicamente, mas psicologicamente", disse o alemão naturalizado britânico em imagens de arquivo da BBC. Ele morreu em 1980.

Guttmann promoveu as primeiras competições públicas para deficientes na abertura dos Jogos Olímpicos de Londres de 1948.
Nos anos 60, essas práticas foram incorporadas aos Jogos Olímpicos. Nasciam, assim, as Paralimpíadas.

'Severo' e carinhoso

O tenista de mesa Philip Lewis, que participou das Paralimpíadas de 1962, disse à BBC que Ludwig era "um tanto severo com sua equipe e com os paraplégicos".
"Mas por trás de tudo havia aquele enorme carinho. Ele fazia você perceber que ele queria o melhor e que você tinha que encontrar um caminho."
Uma das maiores atletas paraolimpícas da Grã-Bretanha, Grey Thompson afirmou, em entrevista à BBC, que os deficientes têm uma dívida com o médico.
"Ele acreditava que nós deveríamos viver uma vida normal. E foi persistente num tempo em que as pessoas provavelmente imaginavam que ele fosse um tanto louco por acreditar que deficientes poderiam ser ativos.
FONTE: http://www.bbc.com/portuguese/brasil-37293022

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Dia Mundial da Conscientização do Autismo



O Dia Mundial da Conscientização do Autismo, ou simplesmente Dia Mundial do Autismo, é comemorado dia 2 de Abril.
A data serve para ajudar a conscientizar a população mundial sobre o Autismo, um transtorno no desenvolvimento do cérebro que afeta cerca de 70 milhões de pessoas em todo o mundo.

Origem do Dia Mundial do Autismo

O Dia Mundial de Conscientização do Autismo foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 18 de Dezembro de 2007, com o intuito de alertar as sociedades e governantes sobre esta doença, ajudando a derrubar preconceitos e esclarecer a todos.

Dia do Autismo no Brasil

No Brasil, o Dia Mundial do Autismo é celebrado com palestras e eventos públicos que acontecem por várias cidades brasileiras. O objetivo é o mesmo em todo o lugar, ajudar a conscientizar e informar as pessoas sobre o que é o Autismo e como lidar com a doença.
Nesta data, vários pontos turísticos do país são iluminados de azul, cor que simboliza o Autismo.

O que é o Autismo?

O Autismo pertence a um grupo de doenças do desenvolvimento cerebral, conhecido por "Transtornos de Espectro Autista" - TEA.
Os sintomas do autismo são: fobias, agressividade, dificuldades de aprendizagem, dificuldades de relacionamento, por exemplo. No entanto, vale ressaltar que o autismo é único para cada pessoa. Existem vários níveis diferentes de autismo, até mesmo pessoas que apresentam o transtorno, mas sem nenhum tipo de atraso mental.
FONTE: https://www.calendarr.com/brasil/dia-mundial-da-conscientizacao-do-autismo/

domingo, 1 de abril de 2018

Transtorno de Dependência à Internet



A dependência de internet (DI) é um conceito relativamente novo na psiquiatria, caracterizado principalmente pela incapacidade de controlar o próprio uso da Internet, que ocasiona ao indivíduo um sofrimento intenso e/ou prejuízo significativo em diversas áreas da vida. Estar conectado é uma necessidade social, no entanto ela não deve causar dependência e se tornar prioridade. Um estudo sobre o assunto apontou que 170 milhões de pessoas apresentam sintomas de uso excessivo do meio virtual.
A estimativa dos psicólogos é que 4% dos internautas desenvolvam a patologia chamada Transtorno de Dependência de Internet (TDI). Gostar de usar a internet não significa que você sofra desta patologia. O uso excessivo aliado a outros fatores comportamentais caracterizam o problema. Segundo a proposta da pesquisadora Kimberly Young, cinco ou mais critérios positivos são necessários para o diagnóstico de dependência de Internet:
preocupação excessiva com a internet; necessidade de aumentar o tempo conectado (online) para obter a mesma satisfação; exibir esforços repetidos, sem sucesso, no controle, redução ou fim do uso da rede; sentimentos de agitação, irritabilidade ou depressão quando tentar reduzir o uso da Internet; ficar on-line mais tempo do que o pretendido inicialmente; pôr em risco, ou arriscar perder, relações significativas - trabalho, oportunidades educacionais ou de carreira - devido ao mundo virtual; mentir para família, terapeuta ou outros com o intuito de esconder a extensão do envolvimento com a Internet; usar a rede como meio de escape para os problemas ou para aliviar um estado de espírito disfórico (sentimentos de desesperança,culpa, ansiedade e depressão).
Tanto para o TDI quanto para tudo o que causa a dependência há tratamentos, portanto, saber usar a internet é uma questão de saúde. O vício faz com que a pessoa viva no mundo virtual, tendo dificuldades de se relacionar com outras pessoas fora da web. Obesidade, ansiedade, depressão, isolamento social, angustia, distúrbios no sono, sobrepeso, também são sintomas da patologia. Esses problemas podem afetar o indivíduo ainda no rendimento escolar e profissional. A base do tratamento é o autoconhecimento.

Aceitar que precisa de ajuda profissional e apoio das pessoas próximas é o primeiro passo a ser dado. A mudança na rotina que antes era voltada à navegação agora será substituída por outras atividades. O Transtorno de Dependência a Internet é uma herança da era virtual às transformações das relações humanas e à forma como estamos nos associando ao novo viver. A violência urbana, a falta de confiança, a insegurança, a timidez e a comodidade nos tornam vulneráveis a este tipo de patologia.

Vale lembrar que uma pessoa que gosta de estar conectado e de navegar na internet não necessariamente é viciada. "É preciso observar o comportamento caso a caso. Se uma pessoa não sente mais vontade de se relacionar com seus amigos, se sente angustiada quando não está na internet e só se acalma quando está conectada, talvez seja o caso de procurar ajuda.

Somente um psicólogo ou psiquiatra podem dar o diagnóstico correto. Lembrem-se: quando alguém reclamar da sua falta de atenção ou interesse nas coisas simples, desligue o computador e vá contemplar as belezas da vida.
FONTE: https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/educacao/transtorno-de-dependencia-a-internet/18962

domingo, 4 de março de 2018

4 Passos para Vencer a Raiva e a Insegurança.

Clínico geral.
Raiva, tristeza, insegurança, medo ou revolta são algumas das emoções negativas que podem tomar conta da nossa mente, que chegam muitas vezes sem aviso e sem sabermos o que realmente causou este sentimento ruim. Nestas situações, é importante manter a calma, tentando identificar o motivo que causou o sentimento ruim e focando a energia em atividades agradáveis. 
Nem sempre é fácil vencer as emoções negativas, pois elas muitas vezes surgem de situações delicadas como discussões, excesso de preocupações, mudança de emprego, desgosto amoroso ou desilusões, por exemplo. Assim, para o bem estar do corpo e da saúde mental, quando surgem emoções negativas deve ter em consideração as seguintes dicas: 

1. Manter a calma

Para conseguir controlar e ultrapassar as suas emoções, o primeiro passo é manter sempre a calma e não desesperar e para isso deve: 
  • Parar o que está a fazer e respirar fundo, inspirando o ar pelo nariz e soltando pela boca lentamente;
  • Tentar descontrair, mexendo o corpo, balançando os braços e as pernas e alongando o pescoço para a direita e para a esquerda. 
  • Ir apanhar um pouco de ar fresco e tentar relaxar, contando de 60 até 0, de forma lenta e gradual, olhando para cima se possível. 
4 Passos para Vencer a Raiva e a Insegurança
Além desta pequenas atitudes, também pode tentar acalmar e relaxar com a ajuda de plantas medicinais, tomando um chá natural de valeriana ou de maracujá por exemplo. 

2. Identificar o Motivo 

Identificar a razão do sentimento negativo é a segunda coisa que deve tentar fazer depois de se acalmar, sendo muito importante que dedique algum tempo a pensar e refletir sobre a situação. As vezes, desabafar com alguém sobre o que está sentindo e sobre a situação também pode ajudar, pois desta forma pode também analisar pontos de vista que não tinha considerado. 
4 Passos para Vencer a Raiva e a Insegurança
Depois de identificar o motivo que levou ao descontrole emocional, deve tentar planejar o que vai fazer daqui para a frente para evitar este tipo de descontrole, mesmo que isso implique afastar-se de alguém específico ou de alguma situação em especial. 

3. Fazer uma lista de sentimentos

Dedicar tempo para construir uma lista de sentimentos é outra dica muito importante, que pode ajudar a ultrapassar uma fase de sentimentos negativos. 
Para isso, basta fazer uma lista e dividi-la em duas partes, onde de um lado deve escrever uma lista dos sentimentos positivos e agradáveis que se deseja sentir, como confiança, coragem ou calma, e do outro lado deve escrever todos os sentimentos negativos que sente como medo, raiva ou angustia. 
4 Passos para Vencer a Raiva e a Insegurança
Este tipo de listas são muito uteis para ajudar a lidar e ultrapassar sentimentos, e também podem ser realizadas quando existem dúvidas sobre se uma pessoa ou situação está a ser prejudicial, funcionando neste caso como uma lista dos sentimentos positivos e negativos que são transmitidos. 

4. Fazer o que gosta

Fazer atividades que gosta e dão prazer como ver um filme, ir dar um passeio, escrever um diário, pintar, ouvir musica ou ler um livro é outra dica que ajuda a ultrapassar os sentimentos negativos. Este tipo de atividades ajudam a gerir e ultrapassar os sentimentos negativos, uma vez que a atenção fica focada no bem estar e prazer que a atividade lhe traz. 
Para conseguir atingir os sentimentos positivos é necessário fazer algo que possa dar prazer como ver um filme, escrever em um diário, ouvir uma música ou saborear um alimento, por exemplo.
4 Passos para Vencer a Raiva e a Insegurança
Controlar as emoções nem sempre é fácil, pois é necessário gerir bem os pensamentos negativos, sendo importante também a prender a ser mais otimista e a pensar positivo.  

Como pensar positivo

Para controlar as emoções é importante focar diariamente em pensamentos positivos, procurando ser otimista e centrando-se nas soluções e não nos problemas. Assim, algumas das formas que podem ajudar a pensar positivo incluem:
  • Registar diariamente os momentos positivos: ao final de cada dia deve registrar 3 momentos agradáveis que tenham acontecido, escrevendo ou fotografando, por exemplo;
  • Rir e sorrir: deve-se manter o humor positivo e estável durante o dia, rindo-se de si e com os outros;
  • Ser fiel aos seus valores: é importante registrar os valores fundamentais da vida num papel e viver seguindo-os sempre que possível;
  • Conviver com pessoas importantes: deve-se manter relacionar com pessoas que provocam sentimentos agradáveis, como família ou amigos próximos;
  • Planejar o dia-a-dia: para ser positivista deve planear as rotinas do trabalho, domésticas ou de lazer, usando uma agenda, pensando sempre que vai conseguir. 
  • Ser cauteloso e ponderado: deve-se avaliar bem todas as situações, antecipando o que pode acontecer de positivo e de negativo;
  • Ser flexível: a pessoa deve procurar adaptar-se às situações, colocando-se sempre no lugar da outra pessoa.
Estas são algumas regras que o podem ajudar a ser mais positivo, no entanto é importante relembrar que ser positivo é acima de tudo uma escolha que cada um deve fazer. Além disso, ter hábitos saudáveis, como manter uma alimentação equilibrada, praticar exercício físico e dormir bem, é essencial para se se sinta bem e em equilíbrio, contribuindo também para a forma positiva e bem-estar. 
FONTE: https://www.tuasaude.com/4-passos-para-controlar-as-emocoes-negativas/

domingo, 25 de fevereiro de 2018

Cazuza - Mal nenhum.



Nunca viram ninguém triste?
Por que não me deixam em paz?
As guerras são tão tristes
E não tem nada demais
Me deixem, bicho acuado
Por um inimigo imaginário
Correndo atrás dos carros
Como um cachorro otário
Me deixem, ataque equivocado
Por um falso alarme
Quebrando objetos inúteis
Como quem leva uma topada
Me deixem amolar e esmurrar
A faca cega, cega da paixão
E dar tiros a esmo e ferir
O mesmo cego coração
Não escondam suas crianças
Nem chamem o síndico
Nem chamem a polícia
Nem chamem o hospício, não
Eu não posso causar mal nenhum
A não ser a mim mesmo
A não ser a mim mesmo
A não ser a mim.
FONTE: https://www.letras.mus.br/cazuza/85065/

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

A clínica nos EUA onde milionários 'desconectam’ filhos viciados em celulares e internet

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Sete sinais da depressão

  •  1. Tristeza profunda

  • Todos nós ficamos tristes e desanimados de vez em quando. Muitas vezes, desejamos não ter de levantar da cama, não ter de trabalhar naquele dia. Mas períodos de tristeza intensos e frequentes, que acabam afetando o cotidiano, levam à depressão. Com a tristeza vem crises de choro, o isolamento e a sensação de solidão.
  • 2. Distúrbios do sono

  • Na depressão, devido à ansiedade, é comum a pessoa ter insônia. E quando ela finalmente consegue dormir, o sono é agitado e não reparador, o que contribui para o cansaço diurno.
  • Outro distúrbio é a hipersonia. Ela dorme muitas horas seguidas durante a noite e fica sonolenta no período em que está acordada.
  • 3. Pensamentos negativos

  • "A vida é uma droga!", "As pessoas não gostam de mim.", "Jamais vou conseguir!", "Sou um fracasso!", "Nem adianta tentar.", "Sou feio/gordo/magro demais/sem graça!", "Seria melhor se eu estivesse morto.", "Não dá para confiar em ninguém!", "Vou me matar!", são exemplos de pensamentos de uma pessoa em depressão. Ela perde a crença em si mesma, nos outros e na vida.
  • 4. Desinteresse e apatia

  • Ela perde o interesse pelas pessoas, por sexo, por trabalhar, por se divertir, pela vida de uma maneira geral.
  • 5. Baixa autoestima

  • A baixa autoestima gera ansiedade, medo e depressão. Uma pessoa com a autoestima abalada inferioriza-se, não se considera à altura daqueles que estão à sua volta, seja física ou intelectualmente.
  • É comum pessoas muito acima e, algumas vezes, muito abaixo do peso, apresentarem depressão. Segundo este site de psicologia, "aproximadamente 30% das pessoas que procuram tratamento para emagrecer apresentam depressão. Em comparação com os magros, quem sofre com o excesso de peso tem até três vezes mais risco de, em alguma fase da vida, ficar deprimido".
  • 6. Desleixo com a aparência

  • A pessoa perde o prazer de se arrumar, de tomar banho, de ficar bonita.
  • 7. Dores físicas

  • Além da tristeza profunda, a depressão manifesta-se fisicamente através de vários tipos de dores. Alguns especialistas dizem que muitas vezes a pessoa se torna mais sensível à dor. Os sintomas mais comuns são:
    • Dores abdominais e desconforto de origem gastrointestinal, inclusive distúrbios, como gastrite, síndrome do intestino irritável, entre outros.
    • Dor de cabeça.
    • Dores no corpo causadas por tensão muscular, principalmente na região da nuca, ombros e costas.
    • Dor e sensação de aperto no peito.
    • Sensação de ter algo preso na garganta.
  • Se você apresenta alguns ou vários sintomas listados acima, procure um profissional (psicólogo ou psiquiatra) com urgência para obter um diagnóstico preciso. A depressão é uma doença séria, ainda que muitas vezes silenciosa. Se não tratada, os prejuízos para a sua saúde, para sua vida familiar, social e profissional serão ainda maiores. Ela pode, inclusive, levar à morte.
    FONTE: https://familia.com.br/10000/7-sinais-que-mostram-que-voce-tem-depressao